Cacto
   Inventário – mesmo que provisório (ou uma maneira de voltar ao blog...)

Pra tirar o bolor do Cacto, publico aqui o texto que fiz para uma exposição bem bacana de fotografias de um amigo/ex-aluno/fotógrafo talentoso. Passem lá! Porque os olhos precisam de provocações. Porque a vida necessita de poesia. Se não fica muito sem graça.

Inventário – mesmo que provisório

Nas 19 fotografias deste Inventário, que agora rompem o ambiente resguardado da criação para se tornarem públicas, Bruno Barreto esboça uma espécie de acerto de contas com a amplitude do material bruto de suas duas mostras anteriores. Fotografias que antes restaram inéditas agora ganham sentido a partir de uma nova perspectiva.

Todas as imagens flertam com a abstração e foram obtidas com suporte analógico. Na exposição, os agrupamentos das obras formam dípticos e trípticos. O efeito resultante da distribuição espacial das fotos busca preservar uma prerrogativa muito pessoal do autor. Na bidimensionalidade das cópias fixadas nas paredes, a combinação seqüencial das imagens sugere o movimento que o artista fazia em torno dos modelos na hora da obtenção. Isso revela as sensações e percepções próprias do instante em que o real acabava convertido em narrativa. Assim, o ensaio fotográfico opera como uma espécie de registro integrado à própria ação performática.

As possibilidades de leituras vão além. A montagem das fotografias dialoga com o universo da narrativa cinematográfica, na medida em que constrói sentidos a partir da seqüência de imagens, criando formas e movimentos impossíveis de se obter com um único quadro.

Nos trabalhos anteriores, Bruno mantinha um controle mais rígido com o modelo. Exigia, quase à exaustão, imobilidade e concentração. Essa postura se atenuou na presente seleção, mas permanecem padrões como os corpos transformados em suporte para uma variedade de substâncias depositadas sobre a pele. Outro recurso preservado foi a projeção sobre os modelos de imagens previamente registradas em slide para, depois, captar uma segunda – e definitiva – foto. Assim como os significados, são várias as sobreposições. Substâncias sobre pele. Imagens sobre pele. Foto sobre foto. Fragmentos de um inventário – mesmo que provisório.

Sobre a exposição:
Galeria dos Arcos – Usina do Gasômetro (Av. Pres. João Goulart, 551, Térreo)
Visitação de 21 de novembro de 2008 a 20 de Janeiro de 2009 (de terças a domingos, das 9h às 20h)


Escrito por Cacto às 13h38
[] []


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO